.
.

1 Minuto de Reflexão


"Hoje deves renascer... Talvez tenhas nascido apenas."


(M. Rito Dias)


Coração Feliz


O presidente da Fundação Portuguesa de Cardiologia, Manuel Carrageta, acaba de registar em livro os principais conselhos com vista a evitar problemas cardiovasculares. Eis os dez mandamentos para ter um "coração feliz":

1 - Peso Saudável: um em cada três portugueses tem peso a mais, um dos principais factores de risco para a saúde.
2 - Alimentação Saudável: comer peixe, legumes e fruta evita doenças cardiovasculares e ainda retarda o envelhecimento. Menos cem calorias por dia significam a perda de cinco quilos num ano.
3 - Actividade Física: vinte a trinta minutos diários a andar em passo acelerado.
4 - Reduzir a Tensão Arterial: é o principal problema e o mais difícil de prevenir, porque não dá sintomas. Se a boa alimentação não for suficiente, já há medicamentos muito eficazes.
5 - Baixar o Colesterol: estima-se que mais de 50% dos enfartes do miocárdio e cerca de 20% dos acidentes vasculares cerebrais (AVC) estejam associados ao colesterol elevado. Nunca foi diagnosticado enfarte em doentes com colesterol abaixo dos 150 miligramas por decilitro de sangue.
6 - Não Fumar: por cada cigarro fumado perdem-se oito minutos de vida. Mais de um terço das mortes por doença cardiovascular deve-se ao tabaco.
7 - Controlar o Stress: meditação e ioga são dois bons antídotos e não obrigam a mudar de vida.
8 - Beber Vinho Tinto Moderadamente: um a dois copos pequenos (2,5 dl) para o homem e um copo para a mulher.
9 - Reduzir o Sal: consumir menos de cinco gramas por dia é o ideal. Evitar alimentos processados e substituir o sal por pimenta preta, alho, sumo de limão e ervas aromáticas.
10 - Tomar o Pequeno-Almoço: quem não o toma tem mais tendência para ser obeso e os portugueses são dos povos da Europa que menos ligam a esta refeição (café e bolo não contam como pequeno-almoço!), considerada a mais importante do dia.
.
(Visão, 14.01.2010)

1 Minuto de Reflexão


"Hoje deves ouvir... Talvez interesse a opinião dos outros."


(M. Rito Dias)


Projecto Limpar Portugal


Depois do post publicado em 05.11.2009, voltamos a este assunto para informar que, no próximo dia 25 (segunda-feira), às 18h30, no auditório do Museu Municipal/Biblioteca da Figueira da Foz, realizar-se-á uma reunião geral de carácter público com o objectivo de apresentar o Projecto Limpar Portugal a todos os coordenadores, voluntários, comunicação social e população em geral.
O desafio de todos nós, é pois o de conseguir encher a sala, apelando para a participação de todos, estejam ou não inscritos no grupo da Figueira da Foz.
Marque o dia 20 de Março na sua agenda e caso queira ajudar como voluntário, só tem que consultar o sítio do projecto na internet.
.

As Quatro Velas


Eram quatro velas e todas se encontravam acesas, mas não foi por muito tempo.
A primeira era a vela da PAZ. Os povos, os governantes, os políticos, as famílias, as empresas, etc. todos se apostam a combater pela Paz. E nós vemos o que se passa pelo mundo. Aos Tratados de Paz seguem-se automaticamente ataques e mortandades.
Nas Famílias é o que vemos - a Paz não reina e as autoridades encarregam-se de alimentar a desunião com a aprovação da Lei do divórcio e não só. O laxismo dos costumes, permite uma liberdade (leia-se libertinagem) que faz com que a estabilidade do casamento seja cada vez mais frágil - à primeira discussão, juntam os trapinhos e partem para outra. E o bem-estar dos filhos, os tais que a Lei do divórcio diz respeitar? Esses, quando ouvidos, são contra a separação dos pais. Mas a Lei do divórcio diz que é para guardar os "superiores interesses das crianças".
A segunda vela é a da . A Fé anda muito arredada dos homens. Não têm Fé, mas têm superstições aos montes. Cartas, sinas, astrologia, tudo serve para ler o futuro. Mas essa leitura não dá a ninguém a tranquilidade que dá a Fé num Deus que é Pai e vela pelos seus filhos - nós os que vivemos nesta terra.
A terceira vela é do AMOR. Como anda mal tratada esta palavra! Chamam amor a tudo que se relaciona com o sexo, esquecendo que esse aspecto é importante, mas secundário. O Amor, aquele que se pode escrever com letra maiúscula, apoia-se na doação e na entrega desinteressada e não no egoísmo refinado. Em primeiro lugar o Amor de Deus e a Deus, que nos criou e não só - criou tudo que nos rodeia para nosso uso, melhor para o nosso bom uso. O Amor da Família e na Família - ao pensar nele ressalta o Amor entre os esposos e o Amor dos pais para com os filhos e destes para com os pais. E não esqueçamos que na Família não podemos ficar por aqui - as gerações ascendentes e laterais devem ser contempladas: avós, tios, primos, etc.
Ora quando, das quatro velas acesas, três se apagaram, entrou uma criança que ficou triste por ver só uma vela acesa. Então a quarta vela falou-lhe: "Não fiques triste por veres as velas apagadas. Enquanto eu estiver acesa nada está perdido. Eu sou a vela da ESPERANÇA e essa não se apaga nunca se os homens souberem apoiar-se em quem os pode ajudar e esse Alguém é Deus. É costume dizer que a Esperança é a última coisa a morrer, mas eu digo-te - estou aqui e não só não vou morrer, como vou acender de novo as outras velas, porque uma vela não perde o fulgor da sua chama, quando acende outras velas, assim como uma pessoa que dá aos outros Paz, Fé e Amor, não fica mais pobre".
Neste momento o rosto, até aí triste, da criança, animou-se e um grande sorriso manifestou a sua PAZ, a sua FÉ, o seu AMOR e a sua ESPERANÇA.
.
(texto de Maria Fernanda Barroca, publicado no Diário de Coimbra de 10.01.2010)

Olhar a Natureza!


.

(Des)Acordo Ortográfico


O Acordo Ortográfico que uniformiza boa parte da ortografia entre Portugal, o Brasil e os países africanos que o ratificaram, assinado em Lisboa em 16.12.1990, entrou oficialmente em vigor no dia 1 de Janeiro de 2010.
Se é certo que no Ensino só entrará em vigor no próximo ano lectivo, as editoras, os jornais e as revistas já estão a introduzir nas suas publicações as normas definidas no referido Acordo.
Para conhecer todas as palavras que mudaram (e são 3.900 as que passam a ter nova grafia), sugerimos este e este site, onde basta escrever a palavra que quer pesquisar e, automaticamente, ela surgirá com a nova grafia.
.

1 Minuto de Reflexão


A nossa vida decompõe-se em tantas pequenas vidas quanto os dias que Deus nos dá.
.
(Georges Chevrot)

.

2 Anos Depois...

Eu gostava de olhar para ti
E dizer-te que és uma luz
Que me acende a noite
me guia de dia e seduz

Eu gostava de ser como tu
Não ter asas e poder voar
ter o céu como fundo
ir ao fim do mundo e voltar

Eu gostava que olhasses
para mim
E sentisses que sou o teu mar
Mergulhasses sem medo
Um olhar em segredo
Só para eu te abraçar

Eu não sei o que me aconteceu
Foi feitiço!
O que é que me deu?
para gostar tanto assim
de alguém como TU!
.
(Foi Feitiço, André Sardet
)
.

Tema de Fundo

Assiste-se a uma grande contradição no nosso tempo, particularmente nos países mais desenvolvidos: tem-se tudo e ao mesmo tempo não se tem nada... porque não se é feliz! Reina o absurdo, o vazio, a frustração existencial, o suicídio rápido ou lento, através da depressão.
É cada vez mais urgente a busca de significado, de valores autênticos, de verdadeiras razões de viver... Viver bem o Presente! E olhar para o Futuro procurando dar lugar à esperança na busca constante de um sentido para a vida! O Ser Humano não é apenas busca de prazer, de bens materiais ou de sucesso e poder, mas sobretudo ânsia de infinito, de transcendência. Esta busca a todo o custo de encher-se de prazeres efémeros que não alimentam, que passa pelo sexo, pelo álcool, pela droga, pelo desejo de ter mais e mais coisas... no fundo é busca desesperada de sentido, vontade de significado,... passar além de, elevar-se acima do vulgar... ultrapassar-se! Todo o homem e a mulher deve e necessita, então, buscar mais alto, apelar a valores mais elevados e duradouros!
A busca da Felicidade constitui o último objectivo da existência humana, segundo os filósofos, como S. Agostinho ou Kant. Ser Feliz é, portanto, fundamental na Vida das pessoas, nas famílias, no emprego, na educação,... Mas, se é difícil compreender em que consiste a felicidade, mais difícil é ser feliz!... Todas as pessoas são chamadas a serem felizes, embora poucas a atinjam, parecendo que a felicidade não é deste mundo, que se trata de um "impossível necessário". É possível, então, construir uma teoria sobre a Felicidade, para, na prática, podermos ensinar às novas gerações a dedicar-se a descobrir o sentido da vida?!
A pessoa feliz é aquela que cumpre paulatinamente o princípio de Píndaro: "sê tu mesmo/a, desenvolve tudo o que há dentro de ti, realizando a tua personalidade e o teu projecto!".
K. Frielingsdorf, no seu livro original intitulado Felicidade na infelicidade, dá a entender que a felicidade é uma conquista que não se faz sem esforço, sem se sentir "infeliz" por ter de deixar tudo o que não é essencial para se ser feliz ou ter de se esvaziar de conteúdos medíocres para se encher do que vale verdadeiramente a pena.

Conheça o que pensa a respeito de Si mesmo/a e da Vida, através deste questionário da Escala sobre a felicidade (Barros, 2001), aqui exposto!
Responda sinceramente a si próprio/a... responda a todas as perguntas conforme aquilo que verdadeiramente sente e não como gostaria de ser!
Escolha o número que melhor corresponda à sua situação (evitando, se possível, o nº intermédio) conforme este significado:

1= totalmente em desacordo (absolutamente não)
2= bastante em desacordo (não)
3= nem de acordo nem em desacordo (mais ou menos)
4= bastante de acordo (sim)
5= totalmente de acordo (absolutamente sim)


1. Sinto-me bem comigo mesmo/a
(1) (2) (3) (4) (5)

2. Tenho um bom conceito de mim mesmo/a
(1) (2) (3) (4) (5)

3. Aceito-me como sou
(1) (2) (3) (4) (5)

4. Relaciono-me bem com as outras pessoas
(1) (2) (3) (4) (5)

5. Faço amigos facilmente
(1) (2) (3) (4) (5)

6. Gosto de me sentir livre
(1) (2) (3) (4) (5)

7. Controlo o ambiente em que vivo
(1) (2) (3) (4) (5)

8. Aceito o meu passado
(1) (2) (3) (4) (5)

9. Sei viver o momento presente
(1) (2) (3) (4) (5)

10. Tenho projectos para o futuro
(1) (2) (3) (4) (5)

11. Espero evoluir cada vez mais
(1) (2) (3) (4) (5)

12. Sinto-me uma pessoa feliz
(1) (2) (3) (4) (5)

13. Luto pelo meu bem-estar
(1) (2) (3) (4) (5)

14. Considero-me uma pessoa alegre
(1) (2) (3) (4) (5)

15. Sinto-me satisfeito/a com a vida
(1) (2) (3) (4) (5)

16. Tenho conseguido atingir os meus objectivos
(1) (2) (3) (4) (5)

17. Considero-me uma pessoa cheia de esperança
(1) (2) (3) (4) (5)

18. Tenho bastante sentido de humor
(1) (2) (3) (4) (5)


MÁXIMO DE FELICIDADE: 90; MÍNIMO: 18


(Cf. Barros, J. (2001). Felicidade: Natureza e avaliação (proposta de uma nova escala). Psicologia, Educação e Cultura, 5 (2), 289-318.)

A grande pergunta

Há, creio eu, uma grande pergunta a que todos nós devemos responder... É se o Ser Humano é bom ou mau, ou, mais simplesmente, o que é que pensamos da Humanidade!
É uma questão que tem, provavelmente, tantas respostas como pessoas há no mundo. Mas dela depende, em grande parte, a nossa atitude perante a
vida.

As respostas optimistas escasseiam: "As pessoas não podem
ser melhores", segundo Augusto Assía; "são boas, com reservas", para Henrique Guitard; Amando de Miguel opina que "há poucas pessoas más e quase todas são interessantes".
São muitas mais as respostas pessimistas: a opinião que Gironella tem das pessoas, entre outras menos boas, é "em geral má, já que os instintos continuam a prevalecer sobre a razão e os bons sentimentos." Já Carmen Kurtz diz que "em geral as pessoas metem medo."
Há um grupo que adopta posições depreciativo-compassivas. Para Pérez de Tudela, as pessoas são "volúveis e gregárias". Pablo Serrano assegura que "abunda mais a pobre gente". José Subirachs acha que são "bastante medíocres". E João Perucho diz com carga comovedora: "Geralmente, a humanidade incomoda-me. Por vezes, quando me fixo nas pessoas, inunda-me uma imprevisível piedade, vasta e angustiosa."
José Descalzo responde que, no decorrer da sua vida, foi mudando constantemente a visão das pessoas que o rodeiam. Hoje crê, pouco a pouco, que avança nele a visão luminosa e positiva da humanidade. Crê, efectivamente, que no mundo há bem e mal, mas que superabunda o bem, embora a maior parte das vezes se veja mais o mal, porque faz mais barulho. Como crê que nós fazemos o mal mais por inconsciência, por precipitação, do que por simples maldade. Diz que, apesar das desilusões, continua a acreditar que é preferível ter uma desilusão por mês, por ter confiado nas pessoas, do que passar a vida na defensiva, por pensar que estamos rodeados de monstros.

E, qual é a sua opinião acerca da Humanidade?!

1 Minuto de Reflexão


"O futuro é o tempo que nos resta para fazer o que já devíamos ter feito.

O futuro é, decididamente, a única coisa que está pendente na nossa vida.
Os nossos sonhos podem ir desde o desejo de crescer para Ser até ao viver para Continuar, porque ambos, Ser e Continuar, significam entusiasmo pela Vida! "

(Joaquín Lorente)


Bom Fim-de-Semana!

.
Deram-me o silêncio para eu guardar dentro de mim
A vida que não se troca por palavras.
Deram-mo para eu guardar dentro de mim
As vozes que só em mim são verdadeiras.
Deram-mo para eu guardar dentro de mim
A impossível palavra da verdade.
Deram-me o silêncio como uma palavra impossível,
Nua e clara como o fulgor duma lâmina invencível,
Para eu guardar dentro de mim,
Para eu ignorar dentro de mim
A única palavra sem disfarce -
A Palavra que nunca se profere.
.
(A Palavra Impossível de Adolfo Casais Monteiro)
.

Olhar a Natureza!


.

ANO NOVO... MUNDO NOVO!


Pequenas acções individuais, são a maior força transformadora!

Economize a água, a luz, recicle o seu lixo,... Faça a sua parte e ajude a construir um Mundo melhor, mais belo e saudável para Todos!

Feliz Ano Novo!


.

.
As imagens que ilustram os textos publicados neste blogue são seleccionadas, aleatoriamente, através do motor de busca Google. Agradecemos aos respectivos autores o enriquecimento visual que os seus trabalhos proporcionam e, se não divulgamos a sua origem é porque, na maioria dos casos, a mesma é, para nós, desconhecida. Para salvaguarda dos direitos de autor, estamos à inteira disposição dos eventuais lesados, para revelar a identidade do criador das fotos e/ou desenhos publicados. Observador@
.