.
.

1 Minuto de Reflexão

Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o que, com frequência, poderíamos ganhar, por simples medo de arriscar.
.
(William Shakespeare)
.

Bom Fim-de-Semana!


Cinco sentidos são os cinco dedos
Com que o homem tacteia a escuridão,
Rodeado de sombras e segredos
De que busca, e não acha, a solução.
.
Mas decerto haverá mundos mais ledos
Onde outros seres, de maior visão,
Rompendo brumas, dissipando medos,
A treva finalmente vencerão.
.
E sendo sete as cores, e outros tantos
Os sons da escala, mas com mil matizes
Que prolongam seu eco e seus encantos,
.
Talvez nos seja um dia transmitido,
Por esses mundos fortes e felizes,
Um novo sexto e sétimo sentido!
.
(Cinco Sentidos de Alberto de Oliveira)
.

Olhar a Natureza!

1 Minuto de Reflexão

.
A ambição embriaga mais do que a glória.
.
(Marcel Proust )
.

Bom Fim-de-Semana!

.
Venho de todo o lugar, não tenho nome,
Sei o que é dor e fome.
Busco terra, casa, comida,
A Vida!
.
Venho do hemisfério sul,
Terceiro mundo do planeta.
Meu sonho é melhorar, vencer,
Viver!
.
Venho da seca e do abandono,
Conheço saudade e desespero.
Busco gestos de amizade,
Solidariedade!
.
Venho de fora e de longe:
Negro, amarelo, branco, índio.
Sou teu "outro", diferente,
Sou gente!
.
.
(De Onde Vens, de Alfredo José Gonçalves)
.

Tema de Fundo


É costume dizer-se que os olhos são as janelas da alma, pois neles se reflectem os sentimentos que a alma gera ou de que é vítima, já que nela se repercutem as vicissitudes externas que a machucam ou a exaltam.
Os olhos brilham se a alma rejubila, parecem sair das órbitas e cuspir fogo quando ela se enfurece. Choram de alegria por fortes emoções empáticas, tornam-se lânguidos por lutos prolongados e sentidos. São límpidos na infância, turbulentos na adolescência, penetrantes na maturidade, mortiços na velhice. Mãos nos cegos.
Há olhos que vêem tudo escuro e sombrio, como se calçassem óculos escuros, sintoma de um pessimismo congénito ou ocasional, dependente de como se acorda de manhã. Há olhos que pintam tudo de verde, azul e amarelo de girassol, numa policromia serena que ameniza todas as agruras da vida. Há olhos míopes que, mesmo sãos e abertos de par em par, não vêem um palmo à frente do nariz e olhos como os de mãe a quem nada escapa. E há olhos que se podem olhar nos olhos, e olhos desfocados e baços de que nunca se consegue identificar a cor.
Há ainda olhos fulminantes que, com um olhar, censuram, repreendem, humilham, julgam, condenam. E há outros brandos e mansos que, com um olhar bem diferente, convidam, atraem, afagam, desarmam, conquistam.
Há também olhos matreiros que não param nunca e em nada, num movimento insaciável de captação de imagens e detalhes que vão arquivando para desbobinar em qualquer altura. E há olhos que piscam com desejo de conquista implícita.
Há olhos para todos. O poeta tem olhos que “vêem as coisas como os outros as vêem também, mas sente-as lá por dentro como as não sente ninguém”. O médico tem olhos que curam; o arquitecto, olhos estéticos; o padre, olhos beatos; o motorista, olhos atentos; o chinês, olhos de amêndoa; o fotógrafo, olhos de lince; o pedinte, olhos suplicantes; a mãe, olhos de ternura; e Deus, olhos grandes, da dimensão do mundo, que nos vêem, nos seguem e nos adoram como a menina dos seus olhos, e que não castigam quem, mentindo sorrateiramente, arrisca perder o que têm de melhor com juramento falso e sacrílego, atrevendo-se a dizer: “Eu seja cego se…”.
Bem basta os que, por desventura, são cegos de verdade. Mas os olhos são os olhos! E a ciência e a técnica são tão generosas e tornaram-se tão capazes que até já restituem a vista por transplante e fazem ver os cegos com olhos de outros que lhos deixam em testamento nesta vida, pois não precisam deles na outra.
Olhemo-nos nos olhos à procura de quem precisa do nosso olhar, tornando assim a nossa missão nesta vida verdadeiramente simpática.
.
(Adaptação do artigo Olhos Para Todos, de Norberto Louro)
.

1 Minuto de Reflexão


"O grande escândalo do nosso tempo está em que, pela primeira vez na história, existem meios para alimentar toda a população mundial e, no entanto, há 800 milhões de famintos no planeta."
.
(Francisco Sarsfield Cabral)
.

Bom Fim-de-Semana!

.
Tens hoje alguma coisa para alguém?
Uma flor, um sorriso, um elogio?
Dá-o hoje, dá agora, não demores,
As coisas boas - grandes ou pequenas -
Levam sempre amor ao coração
E a alegria não se prende nunca.
Alegra hoje alguém,
Seca uma lágrima,
Sorri bastante.
Planta uma roseira,
Veste de novo uma criança pobre,
Visita a velhinha que está triste e só.
Fá-lo hoje; amanhã talvez não possas.
Melhora hoje o mundo em que vivemos!
.
(Dá Hoje de Léa Silva)
.

1 Minuto de Reflexão

.
"Educai as crianças para que não seja necessário punir os adultos."
.
(Pitágoras)
.

Bom Fim-de-Semana!

.
Não fiques na praia, com o barco amarrado,
Com medo do mar!
Tudo aqui é "miragem", mas na outra margem,
Alguém está a esperar!
.
Como a onda que morre, sozinha na praia,
Não fiques brincando...
No mar confiante, ensina o teu canto,
de ave voando!
.
Há gente vivendo, "tranquila, contente",
Como eu já vivi.
És águia diferente; céu azul e cinzento
Foi feito p'ra ti!
..
("Lança-te" de Imac)
.

.
As imagens que ilustram os textos publicados neste blogue são seleccionadas, aleatoriamente, através do motor de busca Google. Agradecemos aos respectivos autores o enriquecimento visual que os seus trabalhos proporcionam e, se não divulgamos a sua origem é porque, na maioria dos casos, a mesma é, para nós, desconhecida. Para salvaguarda dos direitos de autor, estamos à inteira disposição dos eventuais lesados, para revelar a identidade do criador das fotos e/ou desenhos publicados. Observador@
.