.
.

O Perfume da Amizade

Afinal, como é a verdadeira Amizade?
A Amizade dá-nos a liberdade de podermos ser nós próprios, na companhia de outra pessoa. Porque ser Amigo, mais do que desafiar o outro a mudar para melhor, é compreender as razões que o levam a ser como é. E é quando nos vemos nos olhos de um amigo que nos descobrimos a nós mesmos, numa espécie de nova criação!
Criar uma relação de Amizade é constituir uma 2ª família.

Quando gostamos daqueles que se assemelham a nós e que connosco partilham atitudes e valores, automaticamente adquirimos auto-confiança.
Tendo amigos, todo e qualquer indivíduo se sente mais integrado na comunidade em que está inserido. Eles podem ajudar-nos a superar dificuldades e necessidades próprias, a adquirir elevada auto-estima e a realização pessoal.

Para o estabelecimento de uma Amizade, assume primordial importância a primeira impressão que se tem da outra pessoa. No entanto, é arriscado fazer um julgamento definitivo no contacto inicial, pois uma apreciação precipitada pode impossibilitar uma Amizade futura.

Muitos factores podem dificultar a manutenção de uma Amizade (mudança de residência, trabalho,...) e sabendo que uma Amizade superficial rapidamente se desvanece, muitas são as pessoas que a retomam, quando se torna profunda, depois de longos anos sem contacto.
Fundamentalmente para que a Amizade perdure, mesmo impedidos com a agitação do quotidiano, é indispensável que os amigos dispensem tempo um para o outro.

No livro "Entre Amigos", Letty Cottin Prograbin identifica sete níveis de Amizade: os conhecidos; os vizinhos; membros de colectividades ou associações; colegas de actividades lúdicas; parentes mais próximos; colegas de trabalho; os verdadeiros amigos.
Segundo Henry Brooks Adams "um amigo para toda a vida é muito; dois é imenso; três é quase impossível".
Nós por cá dizemos: "Amigos... poucos, mas bons!".

"Celebra a tua Amizade com expressões de alegria! Encoraja o teu Amigo com gestos de gratidão..."
(John Perry)

Papás, escutem!

«Prestem atenção ao que o vosso filho vos quer dizer, mas não se atreve:

- Não me dêem tudo o que vos pedir. Muitas vezes só peço, para ver quanto posso receber. Se mo dessem, eu teria mais, mas não seria melhor.
- Não me dêem sempre ordens. Se, em vez de me mandarem tanto, me pedissem as coisas por favor, eu as faria mais rapidamente e com mais vontade.
- Não mudem de opinião tão frequentemente sobre o que devo fazer. Decidam-se e mantenham essa decisão. No meio das minhas muitas vacilações, necessito da vossa segurança, da vossa firmeza.
- Cumpram as promessas, boas ou más. Se me prometem uma autorização, dêem-ma; mas também se for um castigo. Assim me irei preparando para a vida.
-Não me comparem com ninguém. Nem com o meu irmão nem com a minha irmã. Se me exaltam acima dos outros, alguém irá sofrer; se me rebaixam diante dos outros, serei eu quem sofro. Nem me comparem convosco quando tinham a minha idade. As nossas vidas são muito diferentes.
- Não me corrijam as faltas diante de ninguém. Ensinem-me a corrigir-me quando estivermos sós. Agradecer-vos-ei infinitamente.
- Deixem-me fazer as coisas por mim mesmo. Mesmo que às vezes me engane. Se fazem tudo por mim, eu nunca poderei aprender.
- Não me gritem. Respeito-vos menos quando o fazem e me ensinam a gritar também. Eu não o quero fazer.
- Quando fizer alguma coisa mal, não me exijam que vos diga porque o fiz. Às vezes nem eu mesmo sei.
- Não digam mentiras diante de mim. Nem me peçam que as diga por vocês, mesmo que seja para vos desenrascar. Sinto-me muito mal, e acho que perco a fé no que vocês dizem.
- Quando estiverem enganados nalguma coisa, admitam-no. Assim crescerá a opinião que tenho de vocês. E ensinar-me-ão a admitir os meus equívocos.
- Quando vos contar um problema meu, não digam: "Não tenho tempo para as tuas parvoíces" ou "isso não tem importância". Tratem de compreender-me e ajudar-me.
- Tratem-me com a mesma cordialidade e amabilidade com que tratam os vossos amigos. Porque somos família, não quer dizer que não possamos ser amigos também.
- Não me digam que faça uma coisa, se vocês mesmos não a fazem. Assim aprenderei eu a fazer sempre o que vocês fazem mesmo sem o dizer, mas nunca o que vocês dizem e não fazem.
- Gostem de mim e digam-me. Eu gosto de ouvi-lo de vocês, mesmo que achem que não é preciso dizer-mo.
- Ensinem-me a amar e a conhecer a Deus e o meu semelhante. Não se desculpem com o que me ensinam no colégio e na catequese. Eu quero aprender de vocês, sem intermediários, a Amar e a respeitar.»

(Autor: Manuel Sánchez Monge; Fonte: "Parábolas como setas")

Blogger: Aqui é melhor não!

O Comittee to Protect Journalist, uma ONG que defende os jornalistas e a liberdade de imprensa, elaborou um relatório sobre os piores países para exercer a actividade de "blogger".
Países como a Birmânia, Irão, Síria, Cuba, Arábia Saudita, Vietname, Tunísia, China, Turquemenistão e Egipto, para só apontar os piores entre os piores, exercem verdadeira caça aos bloggers.
Desde polícia on-line, obrigatoriedade de registo no Ministério da Cultura, cibercafés com ficha individual dos clientes, lista negra de blogues, monitorização de correio electrónico, entre outras medidas restritivas, tudo é utilizado para bloquear o livre acesso e a divulgação de informação.

Aqui neste cantinho à beira-mar plantado, e já lá vão os tempos da CENSURA (pelo menos da censura directa...), nós que desejamos tão somente fazer deste blogue "...um espaço aberto a Críticas Construtivas, onde todos possamos abanar a Sensibilidade e a Sensatez da Raça Humana...", ficamos estupefactos e incrédulos com as agressões intelectuais que ainda proliferam por esse mundo fora.

Saibamos usufruir de forma civilizada da liberdade de expressão que o nosso regime democrático concede, nunca esquecendo a velha máxima: "A minha liberdade termina onde começa a dos outros".

Estou Grato...


E-mail da Presidência da República

Na sequência do post que publicámos em 15.07.2009, é com enorme satisfação que partilhamos convosco, o honroso e-mail que recebemos do Gabinete da Presidência da República:

Por indicação de Sua Excelência o Presidente da República, tenho a honra de transmitir o seu sensibilizado agradecimento pela mensagem de felicitação que, a propósito do seu recente aniversário, tão amavelmente lhe foi dirigida por V. Exas..

Com os melhores cumprimentos,

Ana Maria de Castro Palha
(Assessora Pessoal de Sua Excelência o Presidente da República)

A mais curta resposta é AGIR...




Agora sim, damos a volta a isto!
Agora sim, há pernas para andar!
Agora sim, eu sinto o optimismo!
Vamos em frente, ninguém nos vai parar!

Agora não, que é hora do almoço...
Agora não, que é hora do jantar...
Agora não, que eu acho que não posso...
Amanhã vou trabalhar...

Agora sim, temos a força toda!
Agora sim, há fé neste querer!
Agora sim, só vejo gente boa!
Vamos em frente e havemos de vencer!

Agora não, que me dói a barriga...
Agora não, dizem que vai chover...
Agora não, que joga o Benfica...
e eu tenho mais que fazer...

Agora sim, cantamos com vontade!
Agora sim, eu sinto a união!
Agora sim, já ouço a liberdade!
Vamos em frente, e é esta a direcção!

Agora não, que falta um impresso...
Agora não, que o meu pai não quer...
Agora não, que há engarrafamentos...
Vão sem mim, que eu vou lá ter...

Telemóveis - Carregador Único


Dez fabricantes de telemóveis decidiram criar um modelo único de carregador.

Segundo um estudo da Comissão Europeia, os carregadores velhos originam, anualmente, várias centenas de toneladas de lixo.

Para além de permitir uma enorme redução do desperdício destes dispositivos, esta medida fará, igualmente, baixar o preço dos telefones pois, a partir de 2010, poderão ser comprados sem carregador.

As marcas aderentes são: Nokia, Motorola, Apple, NEC, Research in Motion, Texas Instruments, LG, Sony Ericsson, Qualcomm e Samsung.

Esta noite sonhei com Mário Lino...

Trazemos hoje um artigo de Miguel Sousa Tavares, publicado no Expresso em 29.06.2009, sob o título "Esta noite sonhei com Mário Lino".

Fala de obras públicas e do retorno do respectivo investimento.

A construção da 3ª auto-estrada Lisboa-Porto, o TGV, o aeroporto de Alcochete, a nova ponte rodo-ferroviária sobre o Tejo, o governo e a oposição, as portagens, a barragem do Alqueva e não esquecendo a agricultura, Miguel Sousa Tavares aborda estas questões de forma subtil, pertinente e crítica, como é aliás seu timbre.

Sem questionar o valor acrescentado que cada uma destas obras trará ao nosso país, desejamos que nas mesmas, caso se concretizem, não se verifiquem as habituais derrapagens, característica tão comum nas obras públicas portuguesas, tal como aconteceu noutras bem conhecidas, como a Casa da Música no Porto, a Ponte Rainha Santa Isabel em Coimbra, o Túnel do Terreiro do Paço, a ampliação do Aeroporto Sá Carneiro ou a reabilitação do Túnel do Rossio.

Segundo dados do Tribunal de Contas, nestas obras verificou-se um desvio financeiro superior a 210 milhões de euros, com atraso médio de 4 anos na conclusão das mesmas.

E nestes casos... já se sabe... quem paga é sempre o mexilhão!

Parabéns Sr. Presidente!


Completa hoje mais um aniversário o Presidente da República Portuguesa Prof. Aníbal Cavaco Silva.
Nascido a 15.07.1939 em Boliqueime (Loulé), f
oi 1º ministro de Portugal de 6 de Novembro de 1985 a 28 de Outubro de 1995, tendo sido a pessoa que mais tempo esteve na liderança do governo do país desde o 25 de Abril.
Como Primeiro-Ministro ficará para sempre associado ao período da mais duradoura estabilidade política registado em Portugal nas últimas décadas, a um ciclo de grandes transformações económicas e sociais e de modernização do País, a um tempo em que os Portugueses recuperaram o optimismo e ganharam maior confiança no futuro.
A 22 de Janeiro de 2006 foi eleito Presidente da República, tendo tomado posse em 9 de Março do mesmo ano.
Deste cantinho da blogosfera enviamos os nossos sinceros parabéns e fazemos votos para que no próximo ano aqui possamos voltar e dizer PARABÉNS SR. PRESIDENTE!

Índice do Planeta Feliz

Um estudo da organização britânica New Economics Foundation, concluiu que na Costa Rica vivem os habitantes mais felizes do planeta.

Os Costa-Riquenhos têm a maior esperança média de vida do mundo e 99% da energia que consumem vem de fontes renováveis.

Foram analisados 143 países, os quais representam 99% da população mundial, tendo sido contabilizado o grau de satisfação dos cidadãos, a esperança de vida e a pegada ecológica do país.

Segundo o relatório final, ainda estamos longe de alcançar os resultados ideais e, embora haja sinais de esperança, de um modo geral ainda estamos a caminhar na direcção errada.

Eis o Top Five deste estudo: Costa Rica, Rep. Dominicana, Jamaica, Gautemala e Vietname.

Portugal surge na 98ª posição...

Civilização das Aparências

No mundo, muita coisa muda... outras, nem por isso!!
Temos de começar a perguntar-nos se o que anda pelas ruas são Seres Humanos vestidos de panos ou panos vestidos de Seres Humanos! Porque... a santa aparência é, ainda, a mais venerada, e, para cem por cento das pessoas conta muito mais o que podem pensar as outras noventa e nove do que o que se leva armazenado no interior!
O grave é vivermos muito mais dependentes da opinião dos demais do que da própria vida!
São muitos os que pensam e fazem como pensam e fazem os outros, ou como os outros querem que eles pensem e façam... E é assim que, não sabendo viver, com originalidade, libertos das imposições do costume, das influências e condicionalismos, aparentamos somente fazê-lo!
Se observarmos a nossa vida e olharmos também à nossa volta, veremos quantos esforços se fazem para se ser querido e aceite pelos outros. Certas cortesias, a excessiva amabilidade, a adulação, os elogios exagerados ou falsos... são, a maioria das vezes, um esforço constante para ser tido como pessoa amável, educada e ser louvado e retribuído com as mesmas lisonjas com que se gratificou os outros. Se todos aqueles gestos fossem naturais... Mas, parece que este esforçar-se por ser querido é um tácito reconhecimento de que nós não temos valor por nós mesmos! Contudo a aceitação dos outros é secundária e variável!!
E o que enriquece o Ser Humano não são as futilidades... a exposição barata do próprio ser... a superfluidade da vida alheia...
Todos nós somos importantes porque, sim, temos valor, simplesmente! Tão simples que é ser o/a próprio/a, e queremos ser outro/a!... Tão simples que é ser, e queremos aparentar! E mais vale que os que de nós gostam, gostem pelo que somos e não pelo que aparentamos!
Se nos déssemos conta de que somos muito mais e melhor do que tudo o que podemos pensar, que necessidade teríamos de aparentar alguma coisa?!

Direitos da Criança: Respeitar ou Ignorar?

Falemos hoje de CRIANÇAS!

Jovens de Hoje... Homens e Mulheres de Amanhã!

Incutir conceitos de cidadania, ecologia, cultura democrática, respeitadora de direitos e deveres de e perante terceiros, conduzirá, mais cedo ou mais tarde, a uma Sociedade mais justa, livre e esclarecida.

Dos ensinamentos que colherem no presente, resultará, certamente, um futuro mais risonho.
Para eliminar o depreciativo conceito de "geração rasca", não privemos os mais jovens dos direitos consagrados na Lei, para que assim possam lutar por novas oportunidades e "dar novos Mundos ao Mundo".

Relembremos aqui a Declaração dos Direitos da Criança, aprovada em 1959 pela ONU (Organização das Nações Unidas):

1º Princípio: Toda a criança será beneficiada por estes direitos, sem nenhuma discriminação de raça, cor, sexo, língua, religião, país de origem, classe social ou situação económica. Toda e qualquer criança do mundo deve ter seus direitos respeitados!
2º Princípio: Todas as crianças têm direito a protecção especial e a todas as facilidades e oportunidades para se desenvolver plenamente, com liberdade e dignidade. As leis deverão ter em conta os melhores interesses da criança.
3º Princípio: Desde o dia em que nasce, toda a criança tem direito a um nome e uma nacionalidade, ou seja, ser cidadão de um país.
4º Princípio: As crianças têm direito a crescer e criar-se com saúde. Para isso, as futuras mães também têm direito a cuidados especiais, para que os seus filhos possam nascer saudáveis. Todas as crianças têm também direito a alimentação, habitação, recreação e assistência médica.
5º Princípio: Crianças com deficiência física ou mental devem receber educação e cuidados especiais exigidos pela sua condição particular. Porque elas merecem respeito como qualquer criança.
6º Princípio: Toda a criança deve crescer num ambiente de amor, segurança e compreensão. As crianças devem ser criadas sob o cuidado dos pais, e as mais pequenas jamais deverão separar-se da mãe, a menos que seja necessário (para bem da criança). O governo e a sociedade têm a obrigação de fornecer cuidados especiais para as crianças que não têm família nem dinheiro para viver decentemente.
7º Princípio: Toda a criança tem direito a receber educação primária gratuita, e também de qualidade, para que possa ter oportunidades iguais para desenvolver as suas habilidades. E como brincar também é uma boa maneira de aprender, as crianças também têm todo o direito de brincar e de se divertir!
8º Princípio: Seja numa emergência ou acidente, ou em qualquer outro caso, a criança deverá ser a primeira a receber protecção e socorro dos adultos.
9º Princípio: Nenhuma criança deverá sofrer por negligência (maus cuidados ou falta deles) dos responsáveis ou do governo, nem por crueldade e exploração. Não será nunca objecto de tráfico (tirada dos pais e vendida e comprada por outras pessoas). Nenhuma criança deverá trabalhar antes da idade mínima, nem deverá ser obrigada a fazer actividades que prejudiquem a sua saúde, educação e desenvolvimento.
10º Princípio: A criança deverá ser protegida contra qualquer tipo de preconceito, seja de raça, religião ou posição social. Toda criança deverá crescer num ambiente de compreensão, tolerância e amizade, de paz e de fraternidade universal.

Não Tenho Tempo!



Sabes meu filho, até hoje não tive tempo para brincar contigo... Arranjei tempo para tudo, menos para te ver crescer! Nunca joguei contigo dominó, damas, xadrez ou batalha naval... Eu percebo que tu me procuras, mas sabes meu filho, eu sou muito importante e não tenho tempo! Sou importante para números, convites sociais e toda uma série de compromissos inadiáveis! Como largar tudo isto para ir brincar contigo? Não... não tenho tempo!

Um dia trouxeste o teu caderno escolar para eu ver, e ficaste ao meu lado. Lembras-te? Não te dei atenção e continuei a ler o jornal. Porque afinal, afinal os problemas internacionais são mais sérios do que os da minha casa! Nunca vi os teus livros e nem conheço a tua professora. Nem me lembro qual foi a tua primeira palavra! Mas tu sabes eu não tenho tempo! De que adianta saber as mínimas coisas a teu respeito, se eu tenho outras grandes coisas a saber?

É incrível... como tu cresceste! Estás tão alto! Nem tinha reparado nisso! Aliás, eu quase que não reparo em nada... E na vida agitada, quando tenho tempo, prefiro usá-lo lá fora, porque aqui fico calado diante da televisão!

Porquê? Porque a televisão é importante e informa-me muito!

Sabes meu filho, a última vez que tive tempo para ti, foi numa noite de amor com a tua mãe! Eu sei que tu te queixas, eu sei que tu sentes a falta duma palavra, duma pergunta amiga, duma brincadeira, dum chuto na tua bola... Mas eu não tenho tempo! Eu sei que sentes a falta de um abraço e de um sorriso, de um passeio a pé, de ir até ao quiosque, ao fundo da rua comprar um jornal, uma revista... Mas sabes há quanto tempo eu não ando a pé na rua? Não tenho tempo! Mas tu entendes, eu sou um homem importante. Tenho de dar atenção a muita gente, eu dependo delas! Meu filho, tu não entendes nada de comércio! Na realidade eu sou um homem sem tempo! Eu sei que tu ficas triste, porque as poucas vezes que falamos, é um monólogo: Só eu é que falo!

Eu quero silêncio! Quero sossego, e tu tens a péssima mania de querer brincar com a gente! Tens a mania de saltar para os braços dos outros! Filho eu não tenho tempo para te abraçar! Não tenho tempo para conversas e brincadeiras de crianças!

Filho, o que é que tu percebes de computadores, comunicação, cibernética, racionalismo? Tu sabes quem é Descartes e Kant? Como é que eu vou parar para falar contigo? Sabes filho, não tenho tempo! Mas o pior de tudo... o pior de tudo é que se tu morresses agora, já, neste instante... eu ficava com um peso na consciência!... Porque até hoje... até hoje não arranjei tempo para brincar contigo! E na outra vida, Deus não terá tempo de me deixar pelo menos... VER-TE!

(Original de Neimar de Barros / Adaptação e Voz de Vítor de Sousa)

10 Regras para criar Filhos Delinquentes

«1º - Comecem cedo a dar ao vosso filho tudo o que ele quer! Assim, ele convencer-se-á, quando cresça, que o mundo tem obrigação de satisfazer todos os seus caprichos.

2º - Se, enquanto pequeno, o vosso filho utilizar expressões grosseiras, achem-lhe graça! Isso fará com que ele se convença de que é espirituoso e levá-lo-á a refinar a sua linguagem ordinária.

3º - Não lhe dêem educação religiosa nem lhe inculquem princípios morais! Esperem pela sua maioridade para que o vosso filho, feitos os 21 anos, faça pessoalmente a sua escolha.

4º - Evitem recriminá-lo para que o vosso filho não crie um complexo de culpa! Estes complexos, como toda a gente sabe, não deixam que se desenvolva a sua personalidade.

5º - Façam sempre tudo aquilo que o vosso filho devia fazer: arrumem as suas coisas e apanhem o que ele deitar para o chão! Desta maneira se habituará a empurrar para os outros as suas responsabilidades.

6º - Deixem que o vosso filho leia tudo o que lhe caia nas mãos! Tenham o maior cuidado em esterilizar os talheres, os pratos e os copos, deixando que o seu espírito se nutra de imundícies.

7º - Discutam e zanguem-se em frente do vosso filho! É muito útil que ele se convença que a família é uma instituição nociva e que não deve qualquer respeito a seus pais.

8º - Dêem-lhe todo o dinheiro que o vosso filho quiser! Evitem que o ganhe com o seu trabalho ou através do seu comportamento. Tem tempo. Deixem-no ser feliz enquanto é jovem.

9º - Satisfaçam todas as suas exigências ou caprichos no que se refere à alimentação, vestuário e conforto, a fim de que o vosso filho não possa nunca sentir-se frustrado! As frustrações, como por todos é sabido, não deixam que a personalidade se revele e tornam as pessoas muito infelizes.

10º - Defendam sempre o vosso filho! Contra os seus amigos, os vizinhos, os colegas, os professores e mesmo - principalmente - contra o polícia. É tudo gente desprezível que mais não pretende que embirrar com ele...»

(Adaptação do panfleto da Polícia de Houston, Texas - EUA, distribuído a todos os habitantes da cidade, há cerca de dez anos).


Aproximemo-nos... e Socializemos!

"Mas eu calei-me, pensando que poderia ter dito algo de errado!..."

Quantas vezes sentimos nós este receio, este embaraço na presença das pessoas que não conhecemos? Tantos são os momentos que desejamos dizer algo espirituoso, para nos tornarmos simpáticos, agradáveis... mas simplesmente nada de especial nos lembramos!... E até em ocasiões importantes, em entrevistas para empregos, por exemplo, onde nos esforçamos por causar boa impressão... acabamos por ficar, por vezes, com a sensação que "trocámos os pés pelas mãos"... Permanecemos então fechados no nosso "casulo" protector!! Em todo o lado, de facto, onde poderemos encontrar gente interessante, nem sempre conseguimos dominar as nossas inseguranças, que nos impedem de iniciarmos uma proveitosa conversa e, com ela, alargar o nosso círculo de relações e enriquecer a nossa existência.

Recordando algumas frases sabias, soltas aqui e li... e baseando-me nas próprias experiências... foi fácil perceber que poderemos aprender a tirar o máximo partido de encontros casuais, de diálogos que poderão constituir momentos inesquecíveis!
Não há desconhecidos no Mundo - há apenas amigos à espera de serem encontrados.
Quem sabe se um conhecimento casual se pode transformar numa amizade para toda a vida?!
Reflectindo melhor... quase todos os nossos amigos, namorados, não foram já desconhecidos para nós?
E, na realidade, o encanto de um desconhecido reside precisamente no facto de não o conhecermos; é como uma constante abertura de embrulhos de presentes: não temos nenhuma ideia do que lá está dentro! Um desconhecido pode, de algum modo, contribuir para adquirirmos novos conhecimentos... Uma pessoa que não conhecemos pode até ensinar-nos algo sobre nós próprios... e vice-versa!
Algures, alguém que esteja ao nosso lado, embora desconhecido, poderá estar a experienciar, nas mesmas circunstâncias, exactamente a mesma dificuldade que nós! Num jantar, por exemplo, pode estar a pensar: "Sou demasiado tímido/a para me integrar neste grupo" ou, pelo contrário: "A maioria das pessoas parece considerar aborrecido este tipo de festas, mas eu adoro-as!" Então... para quê complicar? Há motivos para ter medo? De quê?!! Humm... o ideal não será, simplesmente, exprimir honestamente o que se sente? O que quer que se tenha para dizer, que se diga, sem complexos, à primeira pessoa que pareça preparada para nos ouvir! Difícil?! Pois... Mas... possivelmente poderemos encontrar, mais vezes do que imaginamos, eco para as nossas sensações! O melhor conversador é aquele que tem a capacidade e a coragem de ser honesto. E, é claro, a outra pessoa sentir-se-á livre para dizer também o que está a pensar e/ou a sentir!
Depressa nos descobrimos nos outros! Na melhor das hipóteses, é um encontro de sentimentos e de mentalidades que, a partir desse momento, passará a fazer parte integrante da nossa vida!... Pois, por muito diferentes que de início nos possam parecer os outros seres humanos, deixamos de os ver como estranhos e passamos a vê-los antes como pessoas preocupadas, sofredoras, curiosas, divertidas,... - tal como nós próprios. E porque os outros podem estar tão curiosos em relação a cada um de nós, assim como cada um de nós em relação aos outros... todos podemos e devemos estar atentos aos nossos semelhantes, pois temos muito para dar e receber!... A verdade é que a maioria das pessoas é interessante!
Que tipo de pessoa é? Que história tem para contar? Como é o seu dia de trabalho? E quando nos retratamos mutuamente, com honestidade, sem outro objectivo que não seja o de compreendermos e sermos compreendidos, estamos a aprofundar uma boa e saudável relação humana! Além disso um conhecimento sempre nos transforma... se quisermos... para melhor!

"Há sempre qualquer coisa maravilhosa em cada imperfeito, confuso, indeciso ser humano."
(Dorothy Sarnoff)

E foi há 1 MÊS!


E foi há 1 MÊS!

Nunca é demasiado tarde... e, não quisemos deixar de satisfazer este repentino apelo interior!
Assim seguimos e lhe obedecemos adequadamente... pois tudo ocorre sabiamente por um fim concreto!! Algum dia tinha que ser o primeiro...

Agradecemos a todos os que têm visitado, comentado, incentivado e divulgado este espaço, pois todo o apoio é sempre bem-vindo e esse tem sido a mola impulsionadora do crescimento deste blogue.

Sem euforias exageradas e sempre fieis ao nosso objectivo inicial - abordar temas verdadeiramente relevantes - iremos continuar a trilhar esse mesmo caminho, se para tal, e parafraseando Camões, não nos faltar o engenho e a arte.

Figueira da Foz - Na ponta de um pincel

.
As imagens que ilustram os textos publicados neste blogue são seleccionadas, aleatoriamente, através do motor de busca Google. Agradecemos aos respectivos autores o enriquecimento visual que os seus trabalhos proporcionam e, se não divulgamos a sua origem é porque, na maioria dos casos, a mesma é, para nós, desconhecida. Para salvaguarda dos direitos de autor, estamos à inteira disposição dos eventuais lesados, para revelar a identidade do criador das fotos e/ou desenhos publicados. Observador@
.