.
.

Dependentes da Net


Ainda não é oficialmente reconhecida na comunidade médica e científica, mas há quem avance com critérios de diagnóstico e estimativas para a tecnodependência.

A dependência da internet é um distúrbio comportamental em que o indivíduo a utiliza de uma forma obsessiva e compulsiva, colocando para segundo plano as suas responsabilidades familiares, sociais e profissionais. Alguns dos sinais mais comuns da dependência de internet, relacionam-se com a constante preocupação por parte do indivíduo por estar “online”, mentir sobre o tempo passado a navegar e sobre o tipo de conteúdo visualizado, dores musculares e coluna, aumento de peso e perda de sono como consequência da estimulação psicológica e isolamento social. Os indivíduos dependentes da internet tendem a utilizá-la para compensar e aliviar a tensão e a depressão, preferindo o prazer temporário a relações emocionais significativas, por se sentirem incapazes.
Uma pesquisa de uma empresa britânica, aponta para 50 milhões de viciados na net, à escala mundial, ou seja, entre 5% e 10% dos internautas são compulsivos.

Preocupante!
.
Fontes de informação: 1 / 2
.

1 observações:

  1. Rui Conde disse...

    Um assunto deveras preocupante! Tão oportuno quanto real. Penso que muito em breve, se não forem tomadas medidas, será mais uma (se não a principal) dependência do século XXI...
    Mas, o que podemos fazer para evitá-lo, se todos os dias somos bombardeados com iPods, telemóveis de última geração, com mil e uma funções, incluindo a net e "messenger" entre outros.
    Há umas semanas atrás ouvi uma noticia sobre um país, penso que até era europeu, onde pensam limitar as horas de navegação aos utilizadores.
    Será essa a solução? Sinceramente não sei, mas há que pensar nisto seriamente.

Enviar um comentário

.
As imagens que ilustram os textos publicados neste blogue são seleccionadas, aleatoriamente, através do motor de busca Google. Agradecemos aos respectivos autores o enriquecimento visual que os seus trabalhos proporcionam e, se não divulgamos a sua origem é porque, na maioria dos casos, a mesma é, para nós, desconhecida. Para salvaguarda dos direitos de autor, estamos à inteira disposição dos eventuais lesados, para revelar a identidade do criador das fotos e/ou desenhos publicados. Observador@
.